shadow
Valorização Patrimonial da Quinta da Fidalga - Requalificação do Espaço Exterior

A Quinta da Fidalga, cuja fundação remonta ao século XVI, teve sempre funções agrícolas e de lazer e já no século XVIII se destacava pelos seus excelentes pomares com muitas laranjeiras e limoeiros, com ruas cobertas de árvores silvestres e parreiras postas em latadas e pelo seu sofisticado sistema de rega. Distinguia-se, também, pelo magnífico Lago de Maré, que constitui um monumento raro ou quase único na arquitetura hidráulica portuguesa.

Os jardins fazem parte do acesso à área de exposições do Museu-Oficina de Artes Manuel Cargaleiro que se localizará também na Quinta da Fidalga, projeto do Arqt.º Siza Vieira. Este mesmo arquiteto elabora o projeto de tratamento e restauro da zona ajardinada e de todos os equipamentos aí existentes, porque este espaço faz parte do percurso museológico, agora criado, para que os públicos tenham melhor acesso e entendimento do património existente.

Deste modo preservam-se e valorizam-se os espaços da Quinta da Fidalga. Ao mesmo tempo, dá-se maior visibilidade ao património natural e ao património cultural que a integra: jardins, arruamentos, miradouro, lago de maré, muros com azulejos, bancos de jardim.

A requalificação destes espaços permitirá valorizar a Quinta da Fidalga enquanto marco importante do património municipal, complementando ao nível do espaço envolvente as intervenções de caráter cultural a realizar no local.

O projeto promoverá a melhoria da qualidade de vida da população, através da disponibilização de um espaço de lazer de referência, onde predomina uma paisagem rústica e despoluída que beneficia amplamente os padrões de vida saudável.

Outras Áreas de Intervenção: